Texto: O dia em que voltei a acreditar na humanidade

esperança

 

Um dia qualquer e um mapa errado. Era tudo que tínhamos, além da presença uma da outra. Entre tantos assuntos uma pergunta: qual ônibus devemos pegar? Foi quando um dos – ótimos – fiscais do terminal Parobé respondeu “qualquer um” e fomos parar do outro lado da cidade.

Foi ai que eu e Letícia começamos a nossa jornada a conhecer um lado do ser humano que não sabíamos que ainda existia. Como previsto, pegamos um ônibus totalmente errado, absurdamente avesso ao nosso tão aguardado destino. Foi ai que começamos a rever algumas coisas que tínhamos perdido por tantas noticias absurdas, tantas leis horrendas que aparecem por ai. Sim, nós começamos uma jornada por conhecer pessoas que estavam dispostas a nos ajudar, apesar de tudo, duas meninas que não sabiam nada: nem onde estavam, quais ruas percorrer ou como chegar a algum lugar.

Depois de aproximadamente 2 horas entre ônibus e outros, encontramos o estúdio que estávamos buscando… O que nos fez pensar o quão boa foi aquela sexta feira. Umas 10 pessoas maravilhosas passaram por nossa vida e fizeram que abríssemos nossos olhos para o que chamamos de “vida”, algo que já tínhamos esquecido que existia a algum tempo.

Mas o real motivo desse texto é fazer que cada um de nós pense um pouco sobre isso. Como tocou nossa alma ver aquelas pessoas nos ajudando, e como isso deveria ser totalmente normal!

Sabe, as pessoas parecem ter medo uma das outras. Algo que deveria ser do cotidiano, tentar ajudar o próximo… de qualquer maneira.

Além de termos conhecido pessoas incríveis queríamos deixar um recado: que tal ajudar alguém quando perceber que ela precisa de ajuda? Seria um ato e tanto.

Então meu povo, borá lá ser feliz e ajudar alguém. Tenho certeza que amarão fazer isso.

   Milhões de beijos pós enem e um tchau bem lindo para vocês <3 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *